Confira a relação dos PREMIADOS!

gallery/dsc_8265_premiacao_site

MOSTRA INFANTIL

Melhor filme: Bicho do Mato, dir. Juliana Sanson, Curitiba – PR

 

MOSTRA ADOLESCINE

Melhor filme: Arani Tempo Furioso, dir. Roobertchay Rocha, Vitória – ES

 

MOSTRA LATINO-AMERICANA

Melhor filme: La Eternidade de Paula, dir. Dayana Gauthier, Venezuela

Justificativa: Viver em lugar seco, com escassez de água e alimento e ainda assim se manter firme, tendo ao seu lado o acolhimento de outras mulheres-mãe e filha, traz força e esperança de dias melhores, sobretudo quando se carrega outra vida dentro de si. A luta diária pela sobrevivência, pela colheita e pelo plantio não é fácil, mesmo desejando migrar dalí o universo guarda surpresas que ultrapassam o espaço-tempo. O encontro de Liana com Paula muda o destino de toda a família.

 

MOSTRA UNIVERSITÁRIA

Melhor Pôster: Remu

Melhor Atriz: Sofia Fragoso (Galega da Cadisa)

Melhor Ator: Hamilton Torres (Dissonância)

Melhor Fotografia: João Victor Soares (Dissonância)

Melhor Roteiro: Virgínia Guimarães (Dança)

Melhor Direção: Thiago Muniz (Dissonância)

Melhor Filme: Dissonância, dir. Thiago Muniz

Justificativa: Por entender que na universidade o maior exercício seja o de saída da zona de conforto e a ousadia no experimento e na proposição de narrativas.

Menções Honrosas: filme Dança, filme Devaneios e filme Galega da Cadisa

 

MOSTRA AGRESTE

Melhor Pôster: Mucunã

Melhor Atriz: Mariah Morello (Besta-Fera)

Melhor Ator: Felipe Rios (Besta-Fera)

Melhor Fotografia: Junior Siqueira (O Balido Interno)

Melhor Roteiro: Carol Correia (Mucunã)

Melhor Direção: WagnoGodez (Besta-Fera)

Melhor Filme: Mucunã, dir. Carol Correia

Justificativa: Ser mulher nunca foi fácil principalmente neste país e em sua atual conjuntura. Vivemos ao longo dos anos tentando sobreviver e lutando contra o machismo e a violência ainda tão arraigadas em nossa sociedade e quando nos deparamos com histórias como as de Neguinha, Janaína, Dona Luzinete e todas as louçeiras, percebemos a importância da perpetuação dos saberes. Pela oportunidade que o público pode ter em conhecer a força destas mulheres que enfrentaram e enfrentam as dificuldades do cotidiano, se fortalecem e realizam os seus ideais através do trabalho com o barro.

Menção honrosa: filme Besta-Fera

 

MOSTRA BRASIL DE CURTA-METRAGEM

Melhor Pôster: O Menino que Morava no Som

Melhor Atriz: Mayara Millane (Deusa)

Melhor Ator: Jean-Claude Bernardet (Nuvem Negra)

Melhor Fotografia: Kauê Zilli (A Volta pra Casa)

Melhor Roteiro: Diego Freitas e Diego Olivares (A Volta pra Casa)

Melhor Direção: Adrianderson Barbosa e KennelRogis (O Grande Amor de um Lobo)

Melhor Filme: O Grande Amor de um Lobo, dir. Adrianderson Barbosa e KennelRogis

Justificativa: Por reavivar o amor pelo cinema. Por construir um roteiro interessante envolvendo de forma criativa ficção e documentário. Por produzir pontes entre universos diversos. Por plantar sementes.

Melhor Filme do Juri Jovem: A Volta pra Casa, dir. Diego Freitas, São Paulo – SP

Justificativa: Proporciona ao expectador pisar no solo das expectativas vindouras ao abordar questionamentos sobre a vida idosa, as novas problemáticas em relação ao escanteamento social e as possibilidades de reinserção nesse meio. Cada contribuição dos elementos narrativos do filme torna-o mais coeso em sua proposta: o cotidiano de um idoso em um asilo é exposto a um caráter fotográfico suave e equilibrado com a musicalidade que conta o cotidiano metódico dos personagens. Assiste-se e vive-se os momentos do idoso, a saudade, suas decisões e alegrias em tomadas que oscilam entre o desistir e o desenrolar proposto pelo roteiro eestar na ótica dele.

 

MOSTRA BRASIL DE LONGA-METRAGEM

Melhor Pôster: Mateus

Melhor Atriz: Ingrid Trigueiro (Rebento)

Melhor Ator: Diego Avelino (Meio Irmão)

Melhor Fotografia: Cleisson Morais (Meio Irmão)

Melhor Roteiro: André Morais (Rebento)

Melhor Direção: Dea Ferraz (Mateus)

Melhor Filme: Rebento, dir. André Morais, João Pessoa – PB

Justificativa: Pelo olhar poético sobre o feminino e suas desconstruções, os múltiplos femininos na vivacidade do contexto sertanejo, mostrado por meio de uma fotografia sensível, as paisagens e personagens conflituosos demonstram a visceralidade da atuação e doroteiro. O Sertão vivo e pulsante, desmitificado, por meio de uma construção visual potente.

Melhor Filme do Juri Jovem: Rebento, dir. André Morais, João Pessoa – PB

Justificativa: Na obra escrita e dirigida pelo paraibano André Morais, acompanhamos o trajeto de uma mulher, personagem vivida pela atriz Ingrid Trigueiro, que se perde enquanto busca se encontrar, assumindo diversas personalidades que se moldam aos encontros do percurso. Sendo essa razão pela qual o filme parece uma grande e bonita (justificada pela impecável fotografia) metáfora do que significa ser uma mulher, pois a medida que caminha essa mulher que ora é Maria, ora Rosa, ora Ana. Esbarra em problemas que vão do machismoà questões climáticas, das perguntas ingênuas de uma criança ao inferno de um manguezal em chamas, além do fardo de ter que carregar uma “melancia” durante este trajeto.

Menções honrosas: filme Mateus e a atriz Natália Molina (Meio Irmão).

 

Em 2019 foram 549 inscrições.

HOMENAGEADO

BETO ARAGÃO é natural de Caruaru. Começou no teatro em 1995. Dois anos após participou de sua primeira oficina de atuação com a atriz Maria Alves. Foi convidado para muitos espetáculos e foi dirigido por vários artistas como Giovani Gomes, Wagnner Sales, Moisés Gonçalves e Gabriel Sá. No cinema atuou em João Heleno dos Brito (Neco Tabosa, 2013), A Mulher e o Mandacaru (Rafael Coelho,2013), Olhos de Botão (Marlom Meirelles, 2014), Repulsa (Eduardo Morotó, 2017), Foi no Carnaval que passou (Leo Leite, 2018). Gravou pra televisão duas temporadas da série Giga (Taciano Valério). Premiado no  2° Festival de Cinema de Caruaru  pela atuação em Olhos de Botão, contracenando com Zezita Matos. Uma pessoa gentil. Sensível e engajado nas questões sociais e políticas, tem na arte seu maior meio de emocionar, encantar e alegrar as pessoas! Gratidão é o sentimento que temos pelo que faz pela cultura local!
gallery/juri

JURI JOVEM DA MOSTRA BRASIL DE CURTA-METRAGEM

-Willy Rodrigues

-José Suami

-Wesley Macêdo

gallery/190816_critica_100_juri_curtas

JURI JOVEM DA MOSTRA BRASIL DE LONGA-METRAGEM

-Lafaete Vaz

-Ayanne Sobral

-Lucas Gabriel

gallery/190816_critica_098_site_juri_longas

EQUIPE

 

Direção:

Edvaldo Santos

 

Curadoria:

Edvaldo Santos

Paula Lucatelli

Priscila Urpia

Lucineide Sales

 

Produção:

Jucineide Santos

 

Assistentes de produção:

Bruna Santos

Luiza Moura

 

Assessoria de imprensa:

Stephanie Sá

 

Identidade visual:

Pedro Fillipe

Thiego Trajano

 

Diagramação:

Genyff Farias

 Edvaldo Santos

 

Apresentação:

Stephanie Sá

Edson Santos

Paulo Conceição

Túlio Beat

 

Comunicação:

Antonio Virgínio

Luiza Moura

 

Mediador de debates:

Edvaldo Santos

 

Sonorização:

Nelson (K9 produções)

 

Iluminação e projeção:

Edvaldo Santos

 

Registro fotográfico:

Jucineide Santos

Bruna Santos

 

Registro fílmico:

Pedro Fillipe